quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

quintessencial


sob a luz das forças planetárias
justifica-se o espaço [in]finito
de meu pensamento
- que não ocupa espaço algum.

o poema - a palavra - se acalenta como f[l]or
[de lis ou luz]
na Terra que conspira,
indispensável, a seu favor.

o Universo sentencia o corpo
em meio a cor-ação e mente;
a lei cósmica dos sensos
angaria o [meu] mundo [ou vice-versa]...

e pouco importa qualquer fato,
salvo as fronteiras da existência
rolando os dados do acaso
à [ex]comunhão da quintessência.

5 comentários:

Fabrício Franco disse...

Rafaela,

Texto complexíssimo. Tive que ler e reler para situar-me no que - acredito eu - seja o sentido. Falar da existência, do cosmos, não é tarefa fácil; refletir sobre o tema tomaria uma vida. Não concordo inteiramente que o acaso role dados (é deixar muito ao fortuito), mas tenho a mesma opinião que o universo conspira para a poesia.

Instigante!

Abraço!

Jéssica do Vale disse...

Complexo e estimulante.

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

Franco, querido,
não é mesmo tarefa fácil, e é, para mim, em q nos agarramos perante as inquietações e falta de compreensão sobre a vida...
e assim a gente segue. =)

um beijo grato pela leitura sempre gentil.

.

q bom descobrir estimulante...
é o q as palavras devem nos fazer.

beijo

Tê disse...

Rafita, dessas essências, exala a tua poesia...
Bjk

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

lindeza..

beijos