sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Fuga inútil


tenho sido surda

às indagações

feitas de alma pr’alma


dos vãos

desvãos

dos nãos

de mim...


a janela aberta me desenha,

aqui,

pálida paisagem.


lá, de nuvens interrogativas,

ouço mil trovões

e trovoadas graves

[grávidas]

- de sins?!



--------------------------------------------------------------------------

bússola



deslizam sobre a superfície
impermeável
nômades palavras.

em busca da própria sorte
onde chegarão?

a rosa dos ventos
aponta para o norte
mil sentidos submersos.

e a ponta d’uma agulha
tece fugas e versos.


*fujo eu? fogem palavras? foge quem?

16 comentários:

Marcelo Novaes disse...

Rafaela,




Essas indagações são retumbantes. Reverberam.


A janela te emoldurou como pintura. E te desenhou tão bem como o compasso.



Não há fuga aqui.
Há entretecer-se.








Beijos, amiga.












Marcelo.

marjoriebier disse...

Ah, minha amiga... são essas questões (ou as nossas respostas?) que nos tiram da moldura!!!

Feliz ano novo!

beijo

Rafaela Figueiredo disse...

lindos,
nas molduras ou nas fugas, não podemos abdicar do q é belo!
e bonitos são esses olhares, aqui, na minha [webliteral] janela...

beso!

Tê disse...

Tudo bonito, bonita!!
Bjks

Ianê Mello disse...

Lindos poemas, de muito lirismo e sensibilidade.

Bjs

Camilinha! disse...

Belíssimos! Para começar o ano em grande estilo! =)
Amo vc, Flor.

sopro, vento, ventania disse...

São as palavras ou sou eu (ou é você ou quem será?), mas, seja lá quem for, que vá e voe, querida. Eu estou bem assim, me atirando.
Voltei este ano menos, bem menos tagarela; será?
bjs.
muito amor, querida amiga, mt amor pra você.
Cynthia

sopro, vento, ventania disse...

Rafael é um anjo, né? Rafaela também. Sábia a sua mãe.
Só anjo sopram palavras duras com tom de poesia, e ainda fazem-nos calar, quietos, ante tanta sabedoria.
==================
Esqueci de comentários para o primeiro poema:
é, sim, inútil fugir, pois não há como escapar das asas da paisagem de que fazemos parte. Não dá para não-pensar em pombo e paz e voos num início de ano.
LINDO, LINDO tudo isso que você já conseguiu fazer em 2010; prova de que o que é bom só pula de um calendário pro outro, mas continua bom e fica ainda mais maravilhoso, querida Rafa.
bjs.
Cynthia

Rafaela Figueiredo disse...

mais lindos são meus comentários e olhares e afetos, grata e amorosamente, recebidos!

beijo grande, cy


é o espírito do tigre, florzinha!
um beijo
amocê tb! =)

ticoético disse...

é bom voltar de férias e ver que muito antes lá está a Rafa a fazer e reinventar poesias e poemas,adoro aquelas nuvens que pairam sobre nós,gosto também (mas só às vezes)das palavras que foragidas de sabe lá quem,são encontradas por pessoas como você,que as regeneram,as organizam e até as transformam,aí tornam elas belas,como deveriam sempre ser,voltando de férias,tô meio sem inspiração,meio sem criatividade pra escrever,queria ser eu como você,que tem a bússola,enfim,belos poemas,belos temas.
abraço !

Rafaela Figueiredo disse...

amorinho,
olha, eu tô q não me aguento de ego, ultimamente. rs
mas, claro, ego absolutamente preenchido por vcs. paradoxal, né? mas é... assim mesmo.

beijobeijo
'brigada, sempre

Talita Prates disse...

Hum, boas reflexões (filosóficas?), Rafa-lóri-G.H.!

gostei tanto da imagem das "nuvens interrogativas e grávidas"...

gostei tanto das "palavras nômades-fugitivas"...

acho que é um "eu" que foge em busca do "mim". Né?! Hum...

bjo bjo!

queridona!

:)

Talita Prates disse...

Fugir em busca é ótimo!
Hahaha.

Talvez seja isso?!

...

sopro, vento, ventania disse...

Rafangel,
pus postagem no post procê (pelas vias das veias)
um beijo,
Cynthia

Rafa disse...

hahaha
Li, se 'voltar quase sempre é partir para um outro lugar'... [p. viola] pq não fugir pra buscar?! :)

beijooo, amora

Rafa disse...

a cy é poética até nos recados:
vem avisando em versos...

=***