sábado, 9 de agosto de 2014

narrativa do eu

meu caráter de mudança
 descontínuo
indivíduo 
tem a essência surreal
em que divido meu sujeito
entre o espaço social
e as possíveis fantasias
de meu eu
[tão problemático].


colapso:
minha identidade
incoerente, cambiante
se perde(u) em tantas vias
— validade desta vida
desbotando-se à luz
de outra
fotografia.





[na playlist: Traduzir-se.]

5 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Rafaela,

Em cada beleza que tu crias, refletes tua beleza.

Sinto a beleza do Criador na criatura.

;*
Marcos

Fabrício César Franco disse...

Poetisa,

Que bom que, depois de longo hiato, você voltou a nos brindar com seus escritos. E que a multiplicidade da identidade cambiante também nos transmute, a cada nova leitura.

Um beijo!

O CAVALEIRO NEGRO disse...

Ola! que belos escritos...Parabéns.
Deixo aqui meu convite a me visitar no www.ocavaleironegro.zip.net. boa semana e fica em paz. bye.

Rafaela Figueiredo disse...

meus caros e queridos,
suas leituras me dão força!
sigo lutando...

beijo grande

Fred Caju disse...

Confrontar-se é necessário.