quarta-feira, 7 de novembro de 2012

[à] sombra

as gotas de orvalho,
que pingam a vida - fina e lenta -,
[sinto]
suam nos cantos das paredes quentes...
vejo meu reflexo à janela:
movo-me inquieta
neste quarto assimétrico;
nada mais se mexe.
mas sei que há,
ali,
à espera,
olhando-me,
lambendo os beiços
a fera da noite
[prestes a engolir-me... o sono].

12 comentários:

Jéssica do Vale disse...

O cansaço noturno
e seu poder!

Há tempos que não vinha aqui,
confeso que senti falta,
por onde andasses menina poetiza?


Saudações.

Fabrício Franco disse...

Rafaela,

Ao terminar de ler, não pude deixar de me lembrar da minha sobrinha, quando criança, que relutava (e muito!) em dormir. Dizia ela, no seu tatibitate, que não queria parar de brincar de acordada. O sono - hoje em dia, para ela e para mim - é uma bênção, horas cada vez menores num dia cheio de afazeres.

Bom ler você!

Beijo!

F. Carolina disse...

- Cadê o sono que estava aqui?
- A insônia comeu.

Linguagem e Poesia - Bruno de Andrade disse...

O cenário é um pouco apavorante... Fiquei pensando no que ou em quem seria essa fera da noite que nos lança às profundezas do sono... A inspiração simbólica deixa suas pegadas... há um pouco de mistério no silêncio onde está imersa a noite

Beijos!

Sahara Higino disse...

E que engula;
A Gula que o
Cansaço possui.




Fico por seguir;
Flores!

Ana Andreolli disse...

fui uma dos que leram, e gostou. :)

Fred Caju disse...

Fiquei com o gigante Monólogo de uma sombra do Augusto dos Anjos na cabeça. Lia durante minhas insônias, hoje curadas. Abração!

Paulo Sotter disse...

Gostei muito do texto, muito bem construído e finaliza com um tom de humor em um acontecimento pra lá de real. Uma fera da qual ninguém consegue escapar, ou melhor, não por muito tempo...
Abraços

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

Jessica,
E eu fico feliz q tenha vindo e deixado palavras q recebo com carinho.
Obrigada.

Bjo

.

Franco, caríssimo,
Que legal poder lembrar-lhe de momentos vividos. Obrigada por partilhar.

Um bjo

.

F. Carolina,
Eu ri. Rs
Obrigada, volte sempre.
:-)

.

Amigo querido,
É bem esse mistério, talvez, q me (nos) devore o sono, até q o cansaço não chegue...

Bjão

.

Sahara,
Gostei de sua leitura!
Obrigada, volte sempre q puder.

Abraço

.

Ana,
Eu me sinto honrada pelo seu tempo votado.
Obrigada. Espero q me possa ler mais.

Abraço

.

Caju,
Q honra! Gosto muito de Augusto dos Anjos e Simbolismo(s).

Bjo

.

Paulo,
Verdade. Parece inescapável mesmo...
Obrigada pela leitura.

Bjos

Lu Rosário disse...

Você consegue trazer o cotidiano da forma mais poética.

Beijos.

Luís Paz disse...

Jogo de palavras bom demais. Uma hipérbole. Suculenta e muito bem formada. Muito bom achar blogs talentosos como este. parabéns


Hey já te sigo, adoraria que me visitasse lá e lesse meu post pra comentar.

diademegalomania.blogspot.com

Desde já, agradecido.

Lu Rosário disse...

Sim, a pessoa .. o momento..estão tudo no pacote que abrimos quando nos entregamos. Nossas atitudes dependem dele.

Um Beijo e obrigadíssima pelas visitas e comentários.