sexta-feira, 19 de outubro de 2012

mudo acústico



enquanto não vem a poesia
a gente se lembra um pouco
que há, no silêncio, a canção
escrita e tocada aos moucos.

[ou, quem sabe, loucos]

14 comentários:

Linguagem e Poesia - Bruno de Andrade disse...

Há poesia na ausência de poesia. E você se notabiliza pela capacidade de extrair a poesia antes mesmo de ela pousar em sua alma. É do silêncio da alma que ela brota tal qual a canção que um mouro [surdo, acrescentei uma nova palavra ao meu léxico mental...rsrs] ouve.
Que sejamos loucos porque a ouvimos pouco importa! Acho tênue a linha que separa a loucura da sensatez (se é que existe essa linha). E a poesia não tem um pouco de loucura? Não seriam os poetas adestradores da loucura? Fazer poesia pode ser um bom exercício para disciplinar a loucura nossa de cada dia.

Beijos, querida!

Fred Caju disse...

Poesia e silêncio são tão próximos...

Fabrício Franco disse...

A palavra e o silêncio são companheiros inseparáveis, um sem o outro não há como existir.

Beijo, Rafaela!

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

poesia - essa nossa companheira de ausências assimiladas...
sempre melhoro sob o teu olhar, amigo.

um beijo!

.

muito verdade, Caju!

beijo

.

Franco, querido,
pois é, assim q nós ouvimos [e, quiçá, traduzimos] o q grita o silêncio.

beijo grande

Paulo Sotter disse...

O silêncio pode ser poético e dizer muito.
Ele é o fundo musical para a poesia dos pássaros. Gosto de ouví-lo mesmo que seja coisa de moucos, ou quem sabe, loucos...
Abraços!!!

Raul Motta disse...

“Cada gota de silêncio é a chance para que um fruto venha a amadurecer.”
[Paul Valéry]

.

poema regado
à silêncio: regalo
para poucos

Gostei e gostei do blog, já sigo...

Abraços, bons caminhos!

Paulo Sotter disse...

Oi Rafaela, estou passando pra lhe dizer que indiquei seu blog para o Prêmio Dardos.

passe no meu blog TARRAFEANDO e pegue seu prêmio.

Um grande abraço.

Lu Rosário disse...

E de que no silêncio também há poesia calada..rs

Beijos!

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

Raul,
linda a intertextualidade com Valéry!
obrigada pela partilha.

um abraço

.

Paulo,
vc é mesmo muita gentileza.
passarei!

um beijo grato

.

Lu,
rs e dessas coisas mesmas se fazem os sons quietos q só os moucos-loucos ouvem [ou sentem].

abraço grato pela visita!

Lu Rosário disse...

Agradeço-lhe pela visita e comentários também.. gostei do elogio e da analogia das minhas pernas (no perfil) com "algo meio Tarsila"..rsrs.

E voltarei sim, sempre!
Volte voce também!

Beijos.

Talita Prates disse...

Tudo LINDO por aqui...

Uma saudade............. de você, de mim.....

Beijo-pulo-amor, florinha.

[To chegando.]

Rafaela Figueiredo disse...

Amor sempre.
Saudade em constância crescente.

Primeira Pessoa disse...

o silêncio fala mais alto, tantas vezes.

barulho ensurdecedor.

Jéssica Amâncio disse...

muito bom!