quarta-feira, 25 de julho de 2012

vaga escavação ou paranoia

a vida é um buraco
que cavamos
numa eterna busca.

queremos muito;
temos tão pouco
e somos nada.

ninguém sabe ao certo
o que querer:
o tal desejo, porém,
é bem maior
que o de saber!

eu também sei que nada sei.
e, a cada dia,
cavo meu buraco
[nesta vida]
de agonia
tão profunda.
e deito-me toda
por nada ser...

3 comentários:

Fabrício Franco disse...

Rafaela,

Cavamos ou erigimos? Acho que dividimos nossa vida em tempo de coveiro e tempo de arquiteto...

Beijo, minha cara!

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

verdade, Franco...
de fato, tens razão!
e é preciso lidar com ambos os níveis.

beijos

Tê disse...

Cest la vie, Rafita! Bjk