domingo, 10 de julho de 2011

de ontem em diante



"todo dia, de manhã,
é nostalgia
das besteiras
que fizemos
ontem..."

[in] pausa.

Um comentário:

Linguagem e Poesia - Bruno de Andrade disse...

O vazio de minhas manhãs sempre me pesam. Fica-me um sentimento de recomeço do velho, das sobras que vivi ontem.

Beijos carinhosos!