quinta-feira, 16 de setembro de 2010

poeminha escato[lógico]



a gente só guarda
o de que a gente gosta

o resto vai pro lixo
... ou vira bosta!





11 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Praticamente acabamos de chegar, mas deixo meu carinho e um beijo cheio de saudade.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Rafaela Figueiredo disse...

oi, liiinda!
que bom que voltou! =)

besobeso

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Rafaela,

Sempre guardamos no bolso da vida aquilo que marcou na eternidade. E o que não presta sempre vai pra descarga.

Adoro essa sua espontaneidade.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

cris disse...

rafa, promete que não me joga no lixo? rsrs bjsss

Bruno de Andrade disse...

Que dizer daqueles que enterram amores em seu coração?

Gostei do poema-pílula.

Beijos!

Rafaela Figueiredo disse...

rs
querideza,
acima de tudo, eu sei/prezo tudo que guardo! ;)

beijobeijo

.

Bruno, querido,
se esse enterrar for 'necróforo', piedade; se for abrigo, felicidade!

ah, tb gostei do micronome! ^^
tomara, então, que ele tenha algum efeito [positivo] de! =)

beso

Talita Prates disse...

às vezes até o que a gente gosta vira bosta.

=/

rs.

lembrei da música da Lee na hora!, antes de acessar o link! rsrsrsrs...


bjo, bjo, bjo, bjo!
saudadoooooooooona!


bjo.

Marcelo Novaes disse...

Rafa,




Há espaço para reciclagem?






Beijo.

Rafaela Figueiredo disse...

ai, florinha...
nesse caso, convém saber que só guardamos porque, antes, não o era.
mas, se acontecer, joguemos fora. ;)

beijobeijo

.

amigo,
há de haver!
mas tem de ser, mesmo, útil, viu?

beso

Anônimo disse...

Rafa, olha eu aqui!
Sou reciclável! Pode me transformar em travesseiro, confessionário, microfone escondido...

Wall

Rafaela Figueiredo disse...

hahaha
amado!

beijo