quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Quanto ao futuro.*



agora vêm
oráculos
horóscopos
cartomancias
numerologias...
ninguém escapa!
o tsunami astrológico
vem, (e)leva e lava
(tudo a pratos limpos);
o futuro - cristalino,
frágil relicário místico -
(a)guardará
o novo fim do mundo
escrito em algum
universo sem estrelas
- (e)ternas mortes
cintilantes -
a nos espiar,
ao longe e ao léu...







*Um dos títulos possíveis para A hora da estrela, de C. Lispector.

Imagem:  cena final de Melancholia, filme de Lars Von Trier.

9 comentários:

Fabrício Franco disse...

Rafaela,

Vezes muitas, o tsunami futurológico vem e lava a prantos limpos (noutras, nem tão limpos assim), deixando-nos aquela sensação de represa vazia, à espera de novas enchentes emocionais.

Que as águas de seus rios estejam calmas nesses dias...

Beijo!

Suzana disse...

Que blog mais inspirador! Estou encantada! =]


Adolecentro.

Jéssica do Vale disse...

Horóscopos...
Até que acredito.

Jhosy . disse...

Previsões me sufocam,
prefiro aquela vida (des)preocupada com apenas o instante no qual vido...

Lindo poema!

Jhosy
http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

Jéssica Amâncio disse...

esse constante fim do mundo que nunca chega é nossa forma de implorar um recomeço. e acreditar nele.

Fred Caju disse...

Segue o link do e-book HAICAIS ABDUZIDOS – 1º CONCURSO DE HAICAIS DO BLOG POETAS DE MARTE:
http://castanhamecanica.wordpress.com/2012/12/29/marcell-cristiano-org-haicais-abduzidos-2012/

Parabéns pela conquista.
Grande abraço,
Caju.

Paulo_Sotter disse...

Oi Rafaela, passando para te desejar um ano novo de muita paz e saúde, pleno de realizações. Feliz 2013!!!

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

bom olhar, Jessica.
façamos isso todo domingo... ;)

abraço

.

Valeu, Caju!
Fiquei feliz!

Bjos

.

Obrigada, caro poeta!
Q venha tudo muito para ti tb!

Bjos

Lu Rosário disse...

Todo começo implica um ritual que, ao retornar, faz tudo recomeçar. E como recomeçar? Antes angustiar, prever, sufocar, libertar-se, imaginar.. tudo vem em doses numerológicas, entre búzios e blábláblá. Nosso futuro é tão incerto, mas nossa amada Clarice Lispector tão bem soube colocá-lo no fim de nossa personagem Macabéa. O futuro, este só a nós pertence e cada um o tem de forma peculiar.

Um Beijão e Amo seus comentários no Sem Pudor!