sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Há dias em que...


nem um rabisco [na palma].
nem um bom disco [acalma].
nem mesmo um risco [salva].
nem ser bem-quisto [ou mal].

somente um misto [n'alma]....

8 comentários:

Fabrício Franco disse...

Há dias que tudo isso faz gerar a poesia mais contundente. São os perigos e delícias de ser poeta, minha cara...

Um beijo!

Jéssica do Vale disse...

Tem dias que não deveriam
existir no calendário...

Saudade breve,
de passar por aqui!

Fred Caju disse...

Muito do caralho, Rafaela!

Linguagem e Poesia - Bruno de Andrade disse...

Diz a poesia alguma verdade? É claro, não tem ela pretensão à verdade das ciências e filosofias... uma suposta objetividade está fora de seu domínio... o domínio da poesia é a subjetividade, que diz uma verdade compartilhada... a verdade do ser, a verdade do sentimento... Provocar a sensibilidade e o entendimento... são as funções da poesia... Sinto a expressão do tédio nestes versos... sentir basta e daí me identifico, comungo desse sentir-se fora do ar... a ausência de sintonia... dessintonizados ficamos por vezes... e essa sensação do indiscernível toma toda a alma...

Beijos!

Rafaela Figueiredo disse...

muito fato, Franco!

beijo

.

c'est la roda-viva da vida, Jéssica!

um beijo

.

Caju,
obrigada pela visita!

beso

.

meu amigo querido,
psé, e nossas verdades sempre in-completas, in-tensas e in-certas...

beijos

Fred Caju disse...

Te deixei por aqui: http://cronisias.blogspot.com.br/

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

q legal!
valeu, Caju!

Cristiano Marcell disse...

Belo escrito, minha cara! Estou seguindo você e depois, com mais calma, vou percorrer todo seu blog e sei que ler mais coisas interessantes!

Muita paz!