segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Amor

Ainda me lembro daquela madrugada. Tentávamos nos despedir, havia quase três horas, no portão de casa. As mãos não se soltavam, tampouco as bocas, ainda pouco íntimas; sedentas uma da outra. Sobre nós, o orvalho derramava seu álgido hálito, e nos aquecíamos no abraço. No intervalo em que os olhos se encontravam, só diziam uma coisa compreendida no silêncio...

Cheguei a empurrá-lo umas duas vezes, para que partisse, enfim. Mas me beijava, delicadamente, o pescoço; arrepiava-me o corpo, mantendo-me junto de si.

O quintal, pouco iluminado pela parca luz do poste da rua, propiciava o clima. Foi quando outra luz - do pensamento - fez-me, de repente, puxá-lo pelo braço e, portão adentro, arrastá-lo ao corredor externo, que conduz à área, aos fundos. Tropeçamos nos vasos de plantas da minha mãe, espalhados no caminho, mas chegamos ilesos. Havia pouco mais de duas semanas que nos conhecíamos e estávamos no corredor escuro da minha casa! - ambos plenos de intenções.

Com ruidosa abertura do tal feltro do seu bolso da bermuda, retirou uma pequena embalagem aluminizada. Mostrou-me. Sorri. Sorrimos. Encostado na parede, me puxou pela cintura e beijou-me com vigor. As línguas misturavam-se; umas mãos abriam zíperes com urgência; outras rasgavam a pequena embalagem... Virou-me; amparei-me na parede em frente e, com espantosa perfeição, moldamo-nos, ali, um ao outro. O orvalho, então, nos bafejava. Era uma noite estrelada...

Foi a primeira vez que nos dissemos amor sem nos olharmos nos olhos.

9 comentários:

Linguagem e Poesia - Bruno de Andrade disse...

Sinceramente, não conseguiria descrever tão envolventemente o amor como você o fez neste texto. A cena representada em suas palavras assemelha-se a uma cena literária realista, com certo tom moderado do romantismo.
E o que nos fica a bater na alma são lembranças como essas, dos momentos em que nos entregamos, em que ignoramos o mundo e resistimos às suas solicitações. A necessidade de partir e o desejo de permanecer; o superego que manda e o id que só deseja. E o amor como conciliador do conflito. E o amor como urgência, como satisfação inadiável, relutante, como necessidade de vida e felicidade!

Adorei!
Suas palavras me embalaram!
Beijos!

Mari disse...

AIIII RAFA tá q ta hein... amei

ai eu n sigo nenhum blog acredita? como eu faço isso? rs q horror né ... adoroo o seu, qndo vc me manda algo rs

Thiago disse...

Amor, essas suas palavras fez que um filme passasse um filme em minha mente lembrando de tal momento que foi o começo de tantos outros que vivemos e vamos viver. Seis meses com você, como passa rápido. Até hoje me vejo preso a nossos beijos, mesmo com tempo de sobra pra aprecia-lo, me vejo preso a ele querendo mais e mais deles, cada toque, cada olhas que damos me faz sempre que fecho os olhos lembrar de você, da gente. Foram seis meses felizes e escrevendo nosso livro sem fim... Um amor nasceu em mim e tal amor é esse que sinto por você Rafaela. Meu coração bate forte enquanto te escrevo porque o meu desejo agora é estar com você te dando beijos e te amando como não existisse o amanha. Não posso ser bom com as palavras, mas oque eu falo é de coração.


Fica aqui um recado e um Parabéns de um homem apaixonado por sua namorada/mulher:

Thiago Raphael de Farias,

Te Amo=D

Anônimo disse...

Muito bem dito e comemorado.
Parabéns ao casal!
Que o amor vença sempre!

Abçs!

Wall

Rafaela Figueiredo disse...

querido,
amar é mesmo se entregar.
e tanto mais... =)

beijão

.

amiga,
bem-vinda sempre! ;)

beso

.

amor meu...
[suspiro]

todos os beijos

.

amigo!

um abração com saudade!

ticoético disse...

Que lindo,envolvente,e singelo sim.Fez-me caminhar por entre romances ensaboados e os velhos livretos eróticos de minha mãe.Rafaela,não há nada como sua escrita.

abraço !

ps:parabéns,não pelo texto,mas por este momento e os outros que lhe sucederam.

Rafaela Figueiredo disse...

meu flô,
se te tocou de alguma forma... então tem algum valor. =)

beijo grato e com saudade

Bel Faria disse...

Nossa, sem palavras. Foi extremamente envolvente essa postagem, flor. LINDA forma de descrever tudo. Aiai!... Parabéns milhões de vezes!

Rafaela Figueiredo disse...

amada!

biju