domingo, 22 de novembro de 2009

Motivo


1ª possibilidade:

Por que você lê tanto?

Isso é pergunta que se faça?

Odeio perguntas respondidas com outras...

E eu, perguntas descabidas como tal.

Mas, afinal, não vai responder?

Por que quer tanto saber?

Ai, meu Deus! É tão difícil?

Mas vc também não lê, ora?

Leio, mas não tanto [e nem gosto] quanto vc.

Vai ver que é por isso eu sou eu e vc é vc! Ou então... tenho mais tempo livre! Pronto.

Vc sabe que não é isso.

Sei?

¬¬

Por que essa cara?

E ainda pergunta?

Olha láaa!!! Respondendo com outra pergunta, danado! ha ha ha

Não... não achei graça.

Quer um espelho?

Hã?

Nada, esquece.

Porque vc é tão enfadonha?

Puuutz, essa nem minha avó usa mais!!!

Claro, né? Ela já morreu.

Não fala assim, insensível! :(

Desculpa.

.

Mas então... pode me dizer por quê?

Por que o quê?

Porque vc lê tanto!

Poder eu posso...

Hmm?

Só não sei se devo.

Porra, não entendo o drama!!! É só uma pergunta estúpida!

Então por que vc quer tanto saber, caraleo???

Deve ser pelo mesmo motivo! Ou mera curiosidade. Sei tão pouco de vc...

Costumo ouvir isso.

Tá vendo?

Vendo o quê?

Que não sou só eu.

Ah, mas é o único que me pergunta ‘por quê leio’!

Mas é que vc extrapola a escala de leituras que qualquer pessoa normal possa ter!

Aff, agora existe uma escala?

É um sofisma, ô engraçadinha.

É, e a minha pergunta, retórica, sr. sofista.

Tá bom, vamos pular essa parte, ok?

Ok.

[Silêncio]

Não vai mesmo responder?

Putaquiupariu!!!

Nunca entendi esse palavrão...

Sabe que eu também não entendo muitos deles?

Ai, ai...

Bem, vc quer mesmo saber?

O quê?

O que vc me perguntou, uai.

Ah, sim. Que merda, agora também não quero mais saber!

Como assim não quer mais saber?!

Assim: não-que-ro-mais-sa-ber!

Mas agora eu vou responder quer vc queira, quer não.

Então tá, pode responder. Mas eu tô indo embora. Tchau!

Volta aqui!!!


[Porta que bate]


Filhodaputa!


2ª possibilidade:

...

Bem, vc quer mesmo saber?

O quê?

O que vc me perguntou, uai.

Ah, sim. Que merda, enfim!

Eu...

Vai, desembucha.

A literatura é, para mim, uma forma de vida. Já que a minha, geralmente, é tão vazia. Eu viso a acreditar que aquele mundo criado, que eu tô lendo, existe de fato. E assim esqueço de tudo que existe aqui ‘fora’ e não me torna mais densa, mais plena, mais feliz ou menos... sei lá. É uma dependência.

Poxa...

Que foi?

Eu nunca imaginei que vc teria realmente um motivo tão... consistente.

Ah, bobo... Bem, na verdade, eu inventei isso só para vc parar de me perturbar. Viu só como a Literatura nos torna muito mais criativos? ha ha ha

Vaca! E eu ainda acredito. Eu vou embora, que ninguém aguenta mesmo vc!

Não, espera!


[Porta que bate]


3ª possibilidade:

...

Bem, vc quer mesmo saber?

O quê?

O que vc me perguntou, uai.

Ah, claro! Até que enfim!

Então... mas, antes, eu queria que vc me respondesse uma coisa também.

Hmm, sabia que tinha algo mais. Vc nunca é fácil.

Eu sou fácil!

Ah, vc é fácil?

Não, não do jeito que vc tá pensando.

No que eu tô pensando?

Não sei, eu inda não sou telepata.

Então, por que vc disse “não do jeito que vc tá pensando”?

Ai, e a enfadonha sou eu!

Cara, e como é!!! Difícil e enfadonha... Uma redundância de pessoa.

Vc é um babaca mesmo!

Ah, vc que é redundantemente chata e eu sou babaca?

Também não respondo mais porra nenhuma!

Então vai pra putaquepariu!

Me espere lá.


[Porta que bate]

17 comentários:

Cris disse...

HAHAHAH
isso é fato??!! ADOREI!
bj

Marcelo Novaes disse...

Rafaela,



Eu li três versões de me "dê motivo, pra ir embora..."






Beijos,









Marcelo.

Rafaela Figueiredo disse...

hmmm... descubra qual, fia! hahah

adorei, Marcelo!!!
conflitos dialéticos sempre 'hão' - como diria uma amiga. rs

besos
grata sempre

Renata disse...

Adorei...bom, vc já sabe...

sopro, vento, ventania disse...

Rafaela, querida,
vi possibilidades cênicas maravilhosas nos seus três textos, acredita?!
Pense nisso com carinho. Pense em trabalhar essa vertente, acho que vc tem jeito pra coisa: a leveza de quem diz o que pensa, com o talento para as letras. Pense nisso (com seriedade te digo: dá samba!).
bjs.
Cynthia

Marjorie Bier disse...

DRÃO

(algumas portas batem pra ventilar)

-> Anta que sou, juro que não entendo aqueles VC escritos por ti <-

hahahahaha

Besos

Rafaela Figueiredo disse...

hahaha mto palhaça!
é sinônimo de preguiça, fia! pode acreditar! :P

beso

Cy, mto querida, vc é uma gentileza! gosto da ideia, mas, sinceramente, nem sei por onde começar a pensar...
fico grata pelo olhar!

beijão

sopro, vento, ventania disse...

Lindona, se quiser, eu te ajudo.
Enviei email pra você sobre isso.
bjs.
Cynthia

Wallace disse...

Rafa, concordo com a Cynthia. Pode atacar de escritora de peças teatrais, sim! Talvez, assim, eu tome vergonha na cara e vá ao teatro. rsrsrs :) Tudo o que vc escreve é bom! Não importa a complexidade ou o motivo. Me diverti muito lendo aquele diálogo! A gente se transporta para a personagem... Engraçado. Ora assume-se a posição de um, ora do outro.
(Tentei postar um comentário lá, mas não sei se foi aceito.)
Bj!
Wall

@_-¯Cristiano Quaresma¯-_@ disse...

Conflitar opiniões, por mais
banal que seja o assunto tratado,
ou por mais intelectual que tais minutas
sejam consideradas, com certeza é o maior
desafio do Ser Humano e seu grau evolutivo...
Por isso, procuro manter ao meu redor
somente pessoas que respeitem as diferenças
dos Seres Humanos, suas opiniões, suas verdades,
e consiga viver bem com elas, além de entender
que todo e qualquer sentimento deve fluir
em uma via de mão dupla!!!
E assim se segue...
NAMASTE!

Rafaela Figueiredo disse...

concordo plenamente, Cris!
se não há conflito, não há progresso...

obrigada pela atenção!

namaste o/

sopro, vento, ventania disse...

Rafa, li o comentário do Wallace e concordo com ele também: esse seu texto é de rir, de se transportar para, de se colocar nos dois lugares, e isso É muito importante em um texto teatral (e, nossa!, como precisamos disso em teatro: humor inteligente pra gente). No mais, me resta fazer o coro: "escreve!, escreve!, escreve!".
beijão, e ó, tô aqui de novo a espera de seus novos filhotes.
Cynthia

marjoriebier disse...

Palhaça???

Tu vai ver só!!!

ticoético disse...

Concordo com o pessoal da idéia das peças,enfim,belo texto !
abraço!
ps:gostei do blog em geral,visú,conteúdo e...conteúdo hehehe,cara,como tú escreve bem,fiquei bobão !

Marcelo Novaes disse...

4ª possibilidade, em monólogo:




Por que vc lê tanto?
Do qude vc está fugindo?
Vc é louca?
Meus amigos leem só a Bíblia.
Meus amigos achariam vc louca, sabe disso? Não sabe que basta um livro pra se saber tudo que interessa?
A Bíblia tem capa preta.
Mas tem um capa preta que não presta.
Já ouviu falar?
Pessoas menos loucas também leem menos, mesmo que errado.
Algumas leram o Livro Vermelho de Mao.
Outras leram o Livro Verde de Kadhafi.
Algumas bem louquinhas e porra-loucas, mas menos que vc, leram o Livro Orange de Rajneesh, que depois virou Osho.
Tudo bem que vc seja assim sôfrega e ávida e barata tonta e despersonalizada e totalmente perturbada das idéias.
Mas me diz só uma coisa:
por que vc não escolhe logo uma cor?







Beijos, Rafaela.







Marcelo.

Rafaela Figueiredo disse...

hahah
adorei, muito!
faz valer ao antigo link do blog!
mas, agora, quero evitar..._as palavras têm poder, e eu creio nisso. ;)

beso

Rafaela Figueiredo disse...

* precisa-se discutir melhor esses não-diálogos q há por aí, né?!