segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Mississipi em alto-mar

Não era sonho
Era realidade americana:
Sequestrado o Capitão Phillips,
Do imenso Maersk Alabama,
Por uma quadra de piratas somalis.
"We're just fishermen..."
Dizia em parco english
Armado e, a olhos visto, esfomeado
O novo capitão
Da naviarra - não negreira?

Vinham pescar sobrevivência.
Havia metas além-mar
Havia terra e miséria
Em alto mar, nos pés descalços
E enruçados.
Mas haveria esquadrões
Força-tarefa
Supremacia técnica, genuinamente
Estadunidenses.

Mortes insignificantes...
O heroísmo e o vilanismo
Como água e sal.
E não se saberá jamais
Das lágrimas
Sem peixe para se temperar...

Cena de "Capitão Phillips" (2013).

6 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Rafaela,

Tudo me leva sempre a ratificar minha certeza de que o poder econômico e o poder político sempre estiveram na mão do diabo, foram estes poderes que o diabo ofereceu a Jesus Cristo no deserto durante os 40 dias de jejum e meditação do Cristo.

pax et bonum
Marcos

Rafaela G. Figueiredo disse...

É, Marcos.
Escolhas, escolhas...
Fico triste com tudo.

Um bjo grato pela visita

Anderson Lopes disse...

As relações entre sua poesia e os acontecimentos fora dela são incríveis. Um abraço!!

Rafaela G. Figueiredo disse...

Anderson,
A poesia nossa de cada dia conta um pouco dessas coisas, e a beleza está em ver.

Um bjo grato

Fabrício César Franco disse...

Não vi o filme, poetisa. Mas sei das agruras e das dificuldades de se tomar partido, de ambos os lados. O que é certo? O que não é? Essa instabilidade me co-move.

Beijo.

Rafaela G. Figueiredo disse...

Com certeza, Franco... é o mínimo q nos pode causar.
E assista: é fantástico!

Beijo