sexta-feira, 3 de junho de 2011

sobre-vir




a chuva que calha
no poema
não é água - precipitação
atmosférica
a desprender-se de nuvens:

todo dia cinza
tem suas gotas de tristeza...

poesia-chuva
é o que transborda pelas mãos
e escorre versos
a empoçar-se
em folhas secas.


6 comentários:

Tê disse...

Poesiágua! =]
Bjs Rafita.

Linguagem e Poesia - Bruno de Andrade disse...

Fico impressionado como você brinca com as palavras, joga com as combinações, explorando com aguçada sensibilidade poética a semântica: "escorre versos a empoçar-se em folhas secas"... Belíssimo! Senti-me empoçado também. A leitura deste poema é uma leitura deliciosamente molhada.
Que chovam mais notas empoçadas de sensibilidade lírica!!

Beijos!!

ticoético disse...

Isto tudo é muito maravilhoso,pois teus poemas são bonitos de ler,sim,de ler.Pois pra mim o que faz uma bela poesia,um belo poema ou até um simples verso,é a sonoridade que se pode perceber quando se lê,tento isso a muito tempo,nunca consegui,não fui feito para os versos,mas de quando em vez insisto,mas não é a mesma coisa de aqui.Aqui é outra coisa,outra classe,tem qualidade,tem até sabor,sabia?! ...e fico feliz e maravilhado de ler de antemão do mundo,essa obra maravilhosa que vem construindo,e espero que,pode não ser agora,mas quiçá um dia belo,com sol e primavera na janela,um dia enfim desabroche em folhas de papel pra colocar na minha estante e pra admirar até o fim,enfim,bela.

abraço,aquele abraço !

Rafaela Figueiredo disse...

=)

beijo, lindeza

.

dessas chuvas que nos lavam, sabe?
vc sempre gentil.

um beijo grato, poeta!

.

seu lindo,
nem só os versos têm poética na essência; tua prosa é prova!

beijão

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Toda vez que chego aqui, sabe o que sinto? Sinto sua essência sendo lapidada com palavras vivas.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Rafaela G. Figueiredo disse...

lindeza!
que saudade de ti [aqui e lá!]. =)

obrigada por re-florir meu jardim!

beso